Sem dúvida, o objetivo principal de qualquer investidor é fazer o seu dinheiro render mais. Só que, para isso realmente acontecer, não basta aplicar suas economias pensando apenas em seus objetivos financeiros. É preciso levar em conta também as suas características pessoais ou, em outras palavras, o seu perfil de investidor. 

Uma pessoa de perfil conservador, por exemplo, pode acabar perdendo dinheiro se decidir investir em renda variável sem estar preparada para as flutuações dos ativos adquiridos. Similarmente, uma pessoa de perfil arrojado pode acabar não tendo rendimentos se decidir investir em renda fixa e não tiver paciência para esperar o crescimento do capital. O mais recomendável, portanto, é descobrir, antes de tudo, o seu perfil de investidor, para poder escolher aplicações mais adequadas a sua forma de lidar com o dinheiro.

Por outro lado, vale a pena lembrar que a diversificação é uma palavra-chave quando se fala de investimentos, já que, “colocar todos os ovos em uma mesma cesta” não costuma ser a melhor opção. Além disso, você pode ter investimentos direcionados a objetivos de curto, médio e longo prazo, usando para isso diferentes aplicações. Só que, até para diversificar seus investimentos, também é fundamental saber qual é o seu perfil, para decidir com quais aplicações você vai compor a sua carteira, em quais vai investir mais e em quais vai investir menos.

É bom comentar ainda que a análise do perfil de investidor costuma basear-se em três critérios: segurança, liquidez e rentabilidade. A partir da identificação de qual desses pilares é mais importante para cada pessoa é que os investidores são classificados, normalmente em 3 perfis gerais, ou até em 4. Acompanhe e saiba mais sobre cada um dos 4 perfis de investidores:

Perfil Conservador: Quando o assunto é investimento, ser conservador não tem nada a ver com uma postura tradicional ou ultrapassada, mas sim com a ideia de conservar o seu patrimônio. Por isso, para os investidores de perfil conservador, segurança é a palavra-chave. Quem tem essa personalidade, normalmente, não gosta de correr riscos nem de apostar e quer ter garantia de retorno em seus investimentos. São pessoas que preferem investir suas receitas na compra de um novo imóvel, por exemplo, – apesar da baixa liquidez – ou mesmo deixá-las na poupança – apesar da baixa margem de ganhos – do que arriscar-se a perder dinheiro.

A boa notícia é que, mesmo sendo conservador, é possível diversificar seus investimentos sem abrir mão da segurança. As aplicações de renda fixa são ideais para isso. Existem, inclusive, algumas que oferecem vantagens além dos rendimentos, como as aplicações feitas junto a cooperativas. Nesse sentido, vale mencionar algumas aplicações como o Recibo de Depósito Cooperativo (RDC) e as Letras de Crédito Imobiliárias (LCI) e do Agronegócio (LCA).

Além disso, a própria poupança pode ser utilizada para a custódia da reserva de emergência (já que nesse caso o objetivo não é obter rendimentos) e, em alguns casos, também é possível considerar a destinação de uma porcentagem das aplicações para fundos de renda fixa.

Perfil Moderado: Entre todos os perfis de investidores, o moderado, como o próprio nome já diz, é o meio termo. São pessoas que ainda tem forte interesse pela segurança, mas podem estar dispostas, em alguns momentos, a arriscar-se um pouco para ter retornos melhores. Dessa forma, para o investidor de perfil moderado, os pilares da segurança, da liquidez e da rentabilidade têm pesos similares e devem ser equilibrados na composição de uma boa carteira de ativos.

Vale dizer ainda que, em muitos casos, o investidor moderado é alguém que já tem certa experiência em aplicações financeiras e está no processo de fazer seu patrimônio crescer. Para esse tipo de investidores, a renda fixa não deixa de ser recomendável. Aliás, a maior parte de suas receitas podem ser destinadas a esses tipos de aplicações, incluindo, por exemplo, as letras de crédito e o RDC. Por outra parte, os investidores de perfil moderado podem também alocar uma porcentagem menor de seus recursos em aplicações mistas ou de renda variável, como os fundos multimercados, os fundos imobiliários ou outros do tipo.

Perfil Arrojado: Os investidores de perfil arrojado, por sua vez, são aqueles que são mais tolerantes ao risco, valorizando mais a liquidez e a rentabilidade dos ativos. Normalmente, são pessoas que já têm maior experiência em investir e podem permitir-se eventuais perdas, entendendo que a exposição ao risco pode ser compensada com maiores retornos ao final. É claro que, para isso, é preciso agir de forma estratégica e manter um acompanhamento frequente das suas finanças e do mercado, sem abalar-se com as oscilações, mas tentando aproveitá-las para gerar melhores resultados.

A renda variável, portanto, costuma ser mais indicada para pessoas com esse perfil, incluindo não apenas o mercado de ações (Bolsa de Valores), como também os fundos de ações ou cambiais, as commodities, as moedas estrangeiras, entre outros. Por outro lado, vale destacar que os arrojados também podem alocar uma menor parte de seus recursos em investimentos de renda fixa, como forma de manter a reserva de emergência, por exemplo.

Perfil Agressivo: Muitos consideram este perfil como parte do anterior. Quer dizer, o investidor de perfil agressivo não deixa de ser arrojado. Podemos dizer, porém, que o agressivo não apenas tolera os riscos, ele está realmente preparado e disposto a ter altas perdas se isso significa a possibilidade de ter altos ganhos. Os investidores agressivos estão, portanto, sempre comparando risco e retorno. São pessoas com conhecimento do mercado e com capacidade financeira para suportar perdas. Logo, assim como os arrojados, podem destinar a maior parte de seus recursos para investimentos de renda variável, incluindo também derivativos (opções, futuro, a termo, etc.) e fundos em participações.

Testes de perfil: Já é possível encontrar na internet alguns testes gratuitos para descobrir qual é o seu perfil de investidor. Quem é associado ao Sicoob pode fazer o teste de forma ainda mais personalizada no próprio aplicativo da cooperativa. Basta entrar no app e, dentro do menu Investimentos, acessar a Análise de Perfil de Investidor (API), realizando o seu cadastro API. Como resultado do preenchimento da análise, o usuário pode ser classificado como um investidor conservador, moderado, arrojado ou agressivo. E pode usar o próprio app para começar a investir e fazer seu dinheiro render mais.

Gostou dessa dica? Cooperação começa por aqui, compartilhe esse conhecimento.

Fonte: O Seu Dinheiro Vale Mais